CONTINUAÇÃO DE UM OUTRO POEMA

por Lucca Tartaglia
Ensaios, crítica, crônicas e resenhas.

Toda a gente que eu conheço – ou que penso que conheço –
nunca teve um preconceito, nunca cometeu uma injustiça,
nunca fedeu a carniça quando, num dia quente, esqueceu o desodorante,
nunca foi senão infante – todos eles príncipes – mártires
na vida

Quem há neste largo mundo que me confesse que uma vez foi vil?
Que mandou à puta que pariu sem ter porquê, que trocou o canal da
TV por implicância, que, por ganância, entrou na fila outra vez…

Ó sofredores, injustiçados meus irmãos,
Onde é que a gente na gente?

Olga Maria Baker | MIXTAPE

Posts Relacionados

Deixar comentário