Visita ao Museu Memorial de Direitos Humanos de Santiago (Chile)

por Éverton Siqueira

A cursista Aureni Lima, que concluiu a Especialização em Educação em Direitos Humanos pela UFABC em 2018, fez uma visita ao Museu Memorial de Direitos Humanos de Santiago (Chile).

Ela enviou um relato de sua experiência a este simbólico local, que representa a memória da luta pelos Direitos Humanos em um país que também sofreu com graves violações de direitos básicos durante os anos de chumbo.

Confira abaixo o texto enviado por ela:

Aureni Santos Lima Silva

 

Prezados colegas e professores /formadores, em especial profa. Ana Dietrich, compartilho aqui com vocês a visita que realizei no MMDH Santigo, onde pude apreciar muitos momentos de aprendizado na prática considerando que na UFABC  tivemos debates oriundos de leituras de teóricos, vídeos, imagens, construções de novos textos, análise de questões que me possibilitaram neste espaço supracitado, promover novas leituras e aprendizagens através da visita monitorada, pesquisa em lócus via recursos disponibilizados (head fone aos visitantes), vídeos, além de visita acompanhada por pesquisador que informava cada etapa do contido (exposição) no museu.

Fiquei instigada a querer saber mais principalmente no espaço destinado à expositores de materiais coletado sobre criança: como pensavam, viviam, sofriam no momento da ditadura. Tem fotos que podemos visualizar os registros que Ninõs (crianças) faziam sobre elas. Acompanhei as discussões sobre a ditadura junto a pessoas que estavam em visita onde explicava-se todo o processo vivido pelos prisioneiros e prisioneiras, alojamento, contatos, política, sanções e o sofrimento marcando a história de luta, principalmente das mulheres para garantir seus direitos à vida, ao trabalho, ser respeitada como cidadã, garantia de direitos fundamentais, tal qual do Homem.

O fluxo de pessoas adentrando o museu seja visitante ou pesquisadores observei que era a contento, o que nos alegra saber que temos debates em “outros cantos“ do país, em prol da causa DOS DIREITOS HUMANOS. Essa possibilidade de novos elementos nos faz crescer como ser humano e nos dá possibilidade de expressarmos nossas intenções, desejos, credibilidade, enfim nos fortalece a continuar na luta por justiça social, garantia de direitos e respeito a vida de si e do outro.

Prezados, meu imenso abraço de agradecimento a toda a equipe da UFABC por me possibilitar interagir neste espaço em condições de ampliar novos olhares e saberes, sabendo do que eu lia, interpretava, admirava e conscientizava a continuar o percurso iniciado na universidade junto a essa equipe.

As fotos remetem a alguns momentos dessa visita. Muito boa a contribuição recebida e quando podemos trabalhar a teoria a partir da análise da prática. Tudo se vislumbra!!. Além disso, pude compartilhar os saberes com outras pessoas: filhas, esposo, colegas, mais esse momento que amei durante dias de férias no Chile.

Autora: Aureni Santos Lima Silva

Cursista da pós-graduação lato sensu Educação em Direitos Humanos – UFABC em 2018.

Email: aurenilima@gmail.com

 

 

Posts Relacionados

1 comentário

Guilherme 01/04/2019 - 10:40 PM

Esse museu tem uma exposição fantástica. Muito bem produzido, com um discurso museológico inteligente e respeitoso à memória da nação chilena. Obviamente a problemática é a defesa dos Direitos Humanos, mas o discurso é profundo, e provoca uma reflexão bastante pertinente para pessoas de todas os espectros da política. Um exemplo a ser seguido.

Responder

Deixar comentário