Colunas e Colunistas

Colunas e colunistas por ordem de postagens na semana.

Práxis, Poiésis & Theoria

Mensalmente, domingo.

Márcia Carneiré professora Doutora do Departamento de História do Instituto de Ciências da Sociedade e Desenvolvimento Regional da Universidade Federal Fluminense. Coordenadora do Laboratório de Estudos da Imanência e da Transcendência (LEIT) e do Laboratório de Estudos das Direitas e do Autoritarismo (LEDA). Membro do Grupo de Estudos do Integralismo (GEINT).

A ROSA E O SORVETE

Quinzenalmente, domingo.

Larissa Germano é formada em Direito e trabalha nesta área desde a formação em 1999. Pós-graduada em Direitos Humanos pela Faculdade de Direito de Coimbra-PORTUGAL e em Direito Penal e Processual Penal pela instituição FMB de ensino. Funcionária do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo desde 2005 e ocupa a função de assistente judiciário. Apesar da escrita ter sido sempre uma constante em sua vida, forma de expressar, lidar e até se livrar de sentimentos e angústias, somente a partir de 2011 começou a se lançar na literatura com mais afinco – ano em que apresentou um recital em Paranapiacaba (Santo André-SP), declamando poesias entre uma e outra canção. Então, deixou aflorar sua verdadeira vocação: a escrita, à qual se dedica diariamente, a maior parte das vezes através do Facebook (rede social que usa como laboratório de escrita). Ano passado , por sua própria conta, lançou seu primeiro livro, cujo título é “Cinzas e Cheiros” – um livro de poemas.  Participa dos saraus da região  e atualmente trabalha em alguns projetos literários individuais. Nos últimos anos, tem também se dedicado à música. Seu blog: http://naoapenaspalavras.blogspot.com.br/.

 

DEUSAS, HUMANAS E CIBORGUES

Mensalmente, domingo.

Clarissa de Franco é Psicóloga, Doutora em Ciência das Religiões, com Pós-Doutorado em Ciências Humanas e Sociais. Professora de Pós-Graduação da UNIFAI, Pesquisadora Doutora Colaboradora da Universidade Federal do ABC. Atua há cinco anos como psicóloga na Pró-Reitoria de Assuntos Comunitários e Políticas Afirmativas da UFABC, voltada à promoção de ações afirmativas e defesa dos direitos humanos, com foco em diversidade e inclusão nas universidades. Foi chefe da Seção Psicossocial da UFABC por dois anos, com atendimento à comunidade, visitas domiciliares, discussão de casos, parceria com a rede pública de saúde, atenção a casos de violência e vulnerabilidade social. Experiência em atendimento a jovens, trabalho com redução de danos, inclusão, saúde comunitária, acessibilidade e deficiência, gênero e direitos humanos. Linhas de pesquisa: 1) Gênero e religião; feminismo islâmico; LGBT e intolerância religiosa. 2) Gênero e Estudos pós-coloniais; 3) Universidade e políticas de inclusão, políticas afirmativas. 4) Tolerância, Laicidade, Direitos Humanos e religião. 5) Psicologia, morte, luto e espiritualidade. 6) Islamofobia, xenofobia e racismo. 7) Ateísmo e espiritualidades laicas. 8) Psicologia, modernidade e religião.

 

ENTRE RIOS E FRONTEIRAS

Semanalmente, segunda-feira.

Airton dos Reis Pereira é graduado em História (2000), pela Universidade Federal do Pará (UFPA); mestre em Extensão Rural (2004), pela Universidade Federal de Viçosa (UFV); e doutro em História (2013), pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Filho de camponeses migrantes de Minas Gerais, foi posseiro e agente de pastoral da Diocese de Conceição do Araguaia e da Comissão Pastoral da Terra (CPT), no sul e sudeste do Pará. Atualmente é professor Assistente IV, do Departamento de Filosofia e Ciências Sociais, da Universidade do Estado do Pará (UEPA), Campus de Marabá. É também professor colaborador do Programa de Pós-Graduação em Dinâmicas Territoriais e Sociedade na Amazônia (PDTSA), da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA). É autor do livro “Do posseiro ao sem-terra: a luta pela terra no sul e sudeste do Pará” (Editora da UFPE, 2015) e possui diversos artigos publicados em revista e em jornais de circulação regional, nacional e internacional.

Andrius Estevam Noronha é graduado em História e Mestre em Desenvolvimento Regional pela Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC), Doutor em História pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Professor da Universidade Federal do Amapá no curso de Licenciatura em História e no Mestrado Profissional em História. É integrante do CEPRES – Centro de Estudos Político, Religião e Sociedade. Atua nas seguintes áreas: Imigração alemã no Brasil, História Social das Elites, Ensino de História, História Moderna e Amazônia Colonial.

Eri Cavalcanti é diretor da Associação Brasileira de História Oral – Regional Norte (Biênio 2018/2019). Licenciado em História pela Universidade de Pernambuco, Mestre e Doutor pela Linha de Pesquisa Cultura e Memória do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal de Pernambuco, com Estágio Doutoral (PDSE/Capes) pela Universidad General San Martin em Buenos Aires, Argentina. É autor dos Livros Didáticos: “Pernambuco de Muitas Histórias: História do Estado de Pernambuco” (2012), e “História e Geografia de Pernambuco” (2015) publicados pela Editora Moderna. Também é autor de “Relatos do Medo: a ameaça comunista em Pernambuco – Garanhuns 1958-1964, (EdUFPE, 2012), e autor e organizador de “A história e suas práticas de escritas: relatos de pesquisa”, (EdUFPE, 2013), “A história e suas práticas de escritas: narrativas e documentos” (EdUFPE, 2014); “A história e suas práticas de escritas: leituras do tempo, (EdUFPE, 2016) e “Ditadura militar no Brasil: entre práticas e representações” pelas editoras FGV e EdUFPE (2017). Coordena o grupo de pesquisa Interpretação do Tempo: ensino, memória, narrativa e política (iTemnpo – CNPq/Unifesspa), atua principalmente nos seguintes temas: Teoria; Ditadura Militar; Ensino de História, Livro Didático e Formação Docente. É Diretor de Pós-Graduação da Unifesspa; coordenador do Comitê de Ética em Pesquisa com seres humanos na Unifesspa, e também é membro do Comitê Gestor Institucional de Formação Inicial e Continuada de Profissionais do Magistério da Educação Básica – COMFOR, é parecerista de revistas especializadas como a Revista História Hoje (ANPUH-Brasil) e professor Adjunto da Faculdade de História na Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa).


Geovanni Cabral possui Licenciatura Plena em História pela Universidade Federal Rural de Pernambuco- UFRPE, Especialização no Ensino de História -UFRPE, Mestrado em História pela Universidade Federal de Pernambuco- UFPE, Doutorado em História pela Universidade Federal de Pernambuco- UFPE – área de concentração História do Norte e Nordeste do Brasil. Tem experiência na área de História Cultural, Brasil Republicano, História da Educação, Ensino de História, Cultura Popular e Patrimônio e Educação à Distância. É Professor Adjunto da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará e membro do grupo de pesquisa Interpretação do tempo: ensino, memória, narrativa e politica (iTempo – CNPq/Unifesspa). Atualmente vem desenvolvendo pesquisas na área do Ensino de História tendo como eixo investigativo o uso da fotografia em sala de aula e novas linguagens. Autor e coordenador dos livros A história e suas práticas de escrita, editados pela Editora da Universidade Federal de Pernambuco.

Inaldo Chaves Licenciado em História pela Universidade Federal da Paraíba (2010); mestre (2013) e doutor (2017) em História pela Universidade Federal Fluminense. Atualmente é docente da Faculdade de História da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (ICH/FAHIS/Unifesspa). Foi professor assistente na Universidade Federal do Amapá (UNIFAP). Integra a Cia das Índias – Núcleo de História Ibérica e Colonial na Época Moderna (CNPq/UFF) e o Laboratório de História Social da Amazônia (CNPq/Unifesspa). Atua na área de História, com ênfase em Teoria e Metodologia da História e História do Brasil, principalmente nos seguintes temas: história política, espaço e região, territorialidades, administração portuguesa; populações indígenas; capitanias do Norte; Amazônia colonial.

 

VITÓRIAS RÉGIAS

Quinzenalmente, terças-feiras

Idelma Santiago da Silva é Doutora em História (2010) pela Universidade Federal de Goiás. Professora do Instituto de Ciências Humanas e do Programa de Pós-Graduação em Dinâmicas Territoriais e Sociedade na Amazônia da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará. Trabalha com formação de educadores do campo e atualmente realiza estudos de história oral sobre memória, gênero, mulheres e movimentos sociais do campo. É líder do Grupo de Pesquisa Culturas, Identidades e Dinâmicas Sociais na Amazônia Oriental Brasileira e membro do Conselho Científico da Associação Brasileira de História Oral (2016-2018). Atualmente, vice-reitora da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará.

Kátia Maria dos Santos Melo Possui Graduação em Serviço Social pela Universidade da Amazônia (1997), Especialista em Gestão em Política Social pela Universidade Federal do Pará (1999), Mestrado em Política Social pela Universidade de Brasília (2003) e Doutorado pelo Programa de Pós-Graduação em Política Social do Departamento de Serviço Social ? SER/UNB.- Brasília (2016). Professora Efetiva da Universidade do Estado do Pará (UEPA) desde 2008. Pesquisadora do Grupo de Pesquisa sobre Violências, Tráfico e Exploração Sexual de Crianças, Adolescentes e Mulheres – Violes/SER/UnB e do Grupo interdisciplinar de Pesquisa em Sociedade, Saúde e Meio Ambiente na Amazônia da UEPA.

 

Maria Clara Sales Carneiro Sampaio é graduada em Direito pela PUC-SP (2001-05) e em História pela USP (2002-06,desenvolveu as pesquisas de mestrado e de doutorado no Programa de Pós Graduação em História Social da USP. Com apoio Fapesp, realizou estágio internacional na Yale University (2010-11), como Visiting Assistant in Research. É,atualmente, Professora Adjunta da Faculdade de História (FAHIST) da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA). Também é coordenadora da Pós-Graduação Lato Sensu ” Ensino, Educação Histórica e Direitos Humanos” da FAHIST- Unifesspa.* Ministra cursos nas áreas de História das Américas, História do Brasil e História do Direito (na Faculdade de Direito – FADIR). Tem experiência de pesquisa em Arquivos Nacionais e Internacionais, em especial nos Estados Unidos e Reino Unidos. Os temas de principal interesse estão relacionados à Escravidão e Abolição, Diversidade e Tolerância, Relações de Trabalho e Migrações, Relações Raciais e de Gênero. Líder do grupo * Raça trabalho e poder: africanidades, identidades negras e ideologias na história da Amazônia* – RTP – AINIHA/Cnpq por onde desenvolve o projeto “Circulações Atlânticas, raças, trabalho e migrações em perspectivas transnacionais no século XIX”.

 

Mirtes Emilia Almeida é doutoranda em História Social da Amazônia pela UFPA, fez graduação e mestrado em História na UFPA. Em suas pesquisas buscou compreender as relações de gênero dentro das comunidades indígenas no sul e sudeste paraense. Trabalha como etnóloga na Fundação Casa da Cultura de Marabá e vem se dedicando a pesquisas sobre a saúde da mulher indígena no período da gravidez, principalmente com os povos Mebengokré- Xikrin, do troco linguístico Jê.

 

 

Monalisa Pavonne Oliveira Professora do curso de licenciatura em História da Universidade Federal de Roraima, vice-diretora da Associação Nacional de História (ANPUH) – Seção Roraima, biênio 2018-2019. Formação: doutora em História pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2016), doutorado sanduíche na Universidade de Lisboa (2014-2015); mestre em História pela Universidade Federal de Ouro Preto (2010); Bacharel e Licenciada em História pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (2005).

 

CIÊNCIA EM REVISTA

Quinzenalmente, terça-feira.

Ana Maria Dietrich é editora da revista Contemporâneos – Revista de Artes e Humanidades (B2 em Ensino) e da Contemporartes – Revista de Difusão Cultural (B3 em Ensino). É professora adjunta do Bacharelado de Ciências e Humanidades e de Políticas Públicas da Universidade Federal do ABC. Pós-Doutora pelo Departamento de Sociologia do IFCH da Unicamp com o Projeto Traumas de Guerra na Contemporaneidade. Doutora em História pela USP. Foi pesquisadora do Centro de Estudos de Anti-Semitismo (Universidade Técnica de Berlim) em 2003-2004 quando desenvolveu Doutorado em caráter sanduíche. Possui graduação (bacharelado e licenciatura) em História pela Universidade de São Paulo (1995), graduação em Jornalismo pela Universidade Metodista de São Paulo (1994) e Mestrado em História Social pela Universidade de São Paulo (2001). É coordenadora da Pós Graduação Lato sensu Educação em Direitos Humanos (EDH-UFABC) com financiamento do MEC e parceria com as Secretarias Municipais de Educação e de Direitos Humanos e Cidadania da cidade de São Paulo. Autora de diversos livros e artigos, entre eles, Direitos Humanos no chão da escola (UFABC, 2017), Nazismo Tropical? O Partido Nazista no Brasil (Todas as Musas, 2012) e Caça às Suásticas – O partido Nazista em São Paulo (Imprensa Oficial / Humanitas 2007). Membro permanente do Programa de Pós Graduação em Ensino e História da Ciência e da Matemática (UFABC) (Nota 4).  Coordena o grupo de pesquisa do CNPQ – Laboratório de Estudos e Pesquisas da Contemporaneidade – LEPCON. Coordena o Grupo de Trabalho da Associação Nacional dos Pesquisadores de História, Núcleo Regional de São Paulo, História dos Partidos e dos Movimentos de Direita. Suas pesquisas enfocam os seguintes temas: Educação em Direitos Humanos, Formação de professores, Ensino não formal, Arte e educação e contação de histórias, Gênero e ensino da ciência, II Guerra Mundial, Direita e Extrema-direita, Nazismo e Antissemitismo, Memória, Identidade e Narrativa, Repressão e resistência Política, novas linguagens historiográficas (Cinema X História, História X Fotografia, História X Canção), Memória dos Paladares, Interdisciplinaridade em Artes e Humanidades.

ECOS DA URBANIDADE

Mensalmente, terça-feira.

Soraia Oliveira Costa é Mestre em História da Ciência pela UFABC e graduada em Ciênciais Sociais pelo Centro Universitário Fundação Santo André (CUFSA). Trabalha com fotografia, audiovisual e oralidades desde meados de 2007, quando começou a analisar o cenário urbano, a natureza, o trabalho, as transformações sensíveis, os transportes, o comportamento, a cultura, a arte…Diretora do documentário”Transformação sensível, neblina sobre trilhos”, sobre a vila de Paranapiacaba, feito com incentivo do MEC/SESu pela UFABC e pelo Centro Universitário Santo André.

  A POESIA ESTÁ NA RUA

Mensalmente, quarta-feira.

Bruna Araujo Cunha é doutoranda em Teoria e História Literária pela Universidade Estadual de Campinas, mestre em Letras/Estudos Literários pela Universidade Federal de Viçosa, graduada em Letras pela mesma instituição. Professora no Instituto Federal de Minas Gerais. Tem experiência na área de Letras, atuando principalmente nos seguintes temas: Literatura e Sociedade, Literatura e espaço urbano e poesia brasileira.

GIRASSOL GIRAMUNDO

Mensalmente, quarta-feira.

Ana Valéria Celestino é uma historiadora brasileira que mora em Berlim (Alemanha). Realizou dois “estudos de História” uma vez no Brasil outra na Alemanha. Especializada em leitura de manuscritos, o que quase significa: “quanto mais ruim for o garrancho melhor”. Mas vida quis a tradução, trabalho que exercia durante os estudos e continua fazendo até hoje em Berlim. Dentre as “realizações” organizou um arquivo pessoal com documentos inéditos no Instituto Ibero-americano em Berlim (ver artigo), a análise paleográfica de um manuscrito do século XI e, finalmente, saber o latim. Ainda por vir, a escrita de um trabalho historiográfico, o doutorado.

 POLONAISES 

Mensalmente, quarta-feira.

 INCONTROS

 Quinzenalmente, sexta-feira.

CENTRO EUROPEU NEWS

 Mensalmente, sábado.

Izabel Liviski é fotógrafa e socióloga, com ênfase na área de Sociologia da Imagem e da Comunicação. Doutora em Sociologia pela UFPR, pesquisa História da Arte, Literatura e Cinema. É professora de Fotografia e de Estudos sobre Meio Ambiente. Escreve a Coluna Incontros na ContemporARTES desde 2009, e na atualidade, é co-editora, na mesma revista.

 

 

VEREDAS LITERÁRIAS

Mensalmente, quarta-feira.

Dário Neto, graduado em Letras, mestre e doutor em Literatura Brasileira pela Universidade de São Paulo. Especialista em Machado de Assis. Autor do Livro de contos Candelabro, publicado pela Editora Metanoia. Atualmente, é professor Colaborador na Universidade Estadual do Paraná em Paranaguá, onde leciona as disciplinas Literatura Brasileira, Literatura Portuguesa, Produção de Texto, Metodologia da Pesquisa Científica, Teoria da Literatura e Literatura Universal. A proposta da coluna Veredas Literárias é apresentar um panorama sobre a Literatura, pontuando sua especificidade, isto é, discutir os elementos estéticos que singularizam a Literatura e seus diferentes gêneros. Além disso, propõe-se apresentar relevância nos dias atuais e suas diferentes formas de receptividade. Pretende-se também tratar tanto da Literatura em seu quadro geral, como também de autores específicos e suas contribuições para a nossa riqueza literária. Os diferentes aspectos que singularizam a arte literária serão apresentadas em diálogo com as questões sociais, políticas e humanística dos tempos modernos.

CADERNO DE NOTAS

Quinzenalmente, quinta-feira.

Lucca Tartaglia é doutorando em Letras Vernáculas, na Universidade Federal do Rio de Janeiro, possui mestrado em Letras (Estudos Literários) pelo programa de pós-graduação da Universidade Federal de Viçosa (2014) e graduação em Letras (Língua Portuguesa / Literaturas de Língua Portuguesa) pela mesma instituição (2013). É colaborador, como membro estudante, do Núcleo de Estudos Portugueses (NEP) – atuando na linha de pesquisa Literatura, Cultura e Sociedade – e, como pesquisador, no grupo Formação de Professores de Línguas e Literatura (FORPROLL), linha de pesquisa Estudos de cultura, linguagens e suas manifestações, ambos vinculados ao CNPq.

EDUCAÇÃO & COTIDIANO

Quinzenalmente, quinta-feira.

Wanda Camargo é graduada em Física e Engenharia Civil, especialista em técnicas de Aprendizagem, mestre em Ciências Geodésicas (UFPR). Professora aposentada da Universidade Federal do Paraná, onde foi Chefe do Departamento de Informática, Coordenadora de Curso e de Extensão, representante de sua classe docente no Conselho de Administração. Atualmente é assessora da presidência do Complexo de Ensino Superior do Brasil – UniBrasil, onde já exerceu os cargos de Presidente da Comissão Central do Concurso Vestibular e Diretora Acadêmica. É coordenadora dos Projetos UniBrasil Futuro, Academia UniBrasil, UniBrasil nas Escolas e demais projetos culturais. Autora e coautora de diversos livros, todos na área educacional.

PLANETÁRIO

Quinzenalmente, sexta-feira.

Vanisse Simone é graduada em Direito e Pedagogia, mestre e Doutora em Educação pela Universidade Federal do Paraná – UFPR. Atua com  diversos temas, entre eles, política educacional, direito da criança e do adolescente, gênero, literatura, gestão escolar e educação superior. É professora do Curso de Especialização em Coordenação Pedagógica da UFPR e pesquisadora do Observatório da Educação Superior da mesma instituição. É co-editora da Revista Contemporartes desde setembro de 2014.

ARTEFATO

Mensalmente, sexta-feira

Tiago da Cunha Rosa é Arquiteto e Urbanista pelo Centro de ensino Superior de Juiz de Fora (2016) e Especialista em artes visuais (2017). Interessado por temas como preservação do patrimônio cultural e pelas relações raciais no campo da Arquitetura. Atualmente Leciona na faculdade Doctum de Caratinga, onde ministra disciplinas como projeto urbano, Teoria do paisagismo e teoria da Arquitetura e Urbanismo.

ESPAÇO DO LEITOR, RADAR LEPCON E DROPS CULTURAL

Autores/organizadores

Éverton Siqueira é estudante de Jornalismo na Universidade Metodista de São Paulo. Estagiário no curso de Educação em Direitos Humanos na Universidade Federal do ABC – UFABC e editor-assistente nas Revistas ContemporArtes e Contemporâneos.

 

 

Nathália Vaccani é graduada em Rádio e TV pela Universidade Municipal de São Caetano do Sul – USCS. Atua como gerente-administrativa no Curso de Educação em Direitos Humanos na Universidade Federal do ABC – UFABC.