Radar Lepcon

Africanidades, Literatura infantil e Circularidade: repensar o meio ambiente por meio do Brasil negro e quilombola

No mês de agosto será realizada a 3ª edição do curso de extensão Africanidades, Literatura infantil e Circularidade, voltado para a formação continuada de professores da Educação Básica Básica, principalmente da Educação infantil e Fundamental I.

O curso é promovido pela Universidade Federal do ABC (UFABC), pela Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da UFABC e tem parceria com o pelo curso de Pós Graduação lato sensu Educação em Direitos Humanos. A formação será ministrado por docentes e pesquisadores de universidades, intelectuais e artistas e tem carga horária de 30 horas, que são divididas entre aulas teóricas e práticas, voltadas a prática docente.

Nessa edição, que tem como foco a questão ambiental, serão discutidos o uso do espaço e a ressignificação negra do território, com abordagem de conceitos de natureza, consumo consciente e agroecologia, culinária negra, resistência e os quilombos em território amazônico, cultura popular afro-brasileira em jogos, brincantes e folguedos.

Fiquem de olho nas páginas do projeto para saber mais:

Facebook

Instagram

CURITIBA NA 2ª MARCHA MUNDIAL PELA PAZ E A NÃO VIOLÊNCIA NO BRASIL

A cidade de Curitiba participa na próxima quarta-feira, 18 de dezembro, do Evento de Recepção da Equipe Base da 2ª Marcha Mundial pela Paz e a Não Violência. O movimento é uma ação internacional da organização não governamental Mundo Sem Guerras, apoiada por diversas instituições pelo mundo, e, em Curitiba, estão entre elas: Instituto Nhandecy, Mensagem de Silo, CEBB (Centro de Estudos Budistas Bodisatva), Silêncio e Movimento, Cia Re-Trato, Instituto Atiara, Rede Semear, Design ao Vivo, Nanak Asrham.

Trata-se de uma iniciativa por um mundo sem violência, sem armas e sem guerras com intuito de percorrer mais de 100 países, durante cinco meses. O objetivo é mobilizar as pessoas pela paz e a não-violência. Desta vez a Marcha Mundial começou em Madrid, na Espanha, no dia 2 de outubro, aniversário do nascimento de Gandhi e declarado pelas Nações Unidas como “Dia Internacional da Não-Violência”. A capital espanhola também é o ponto de encerramento, em 8 de março de 2020, após a volta ao mundo.

Neste período cada cidade se organiza a fim de reunir o maior número possível de pessoas, movimentos e organizações para desenvolver atividades e ressaltar aquelas já existentes em consonância com os temas da Marcha Mundial, já que a intenção da Marcha é também dar visibilidade e federar tudo o que já existe no mundo relacionado a superação da violência, gerando uma convergência regional, nacional e mundial.

Em Curitiba, o Evento será no dia 18 de dezembro, no Campus Rebouças da UFPR (Avenida Sete de Setembro, 2645 – ao lado do Shopping Estação), com início previsto para às 8h30 com a seguinte programação: Abertura cultural; Palestra “As Qualidades emocionais para a Paz”; Experiências com a Cultura da Paz e Não Violência; chegada da Equipe Base – 2a. Marcha Mundial desde Madrid; Open Space temáticos.

A concentração da caminhada pacífica será às 16h, na Praça Eufrásio Correa, e seguirá em direção a Boca Maldita, finalizando por volta das 18h, com o Símbolo Humano da Não-Violência. A 1ª Marcha Mundial Pela Paz e Não-Violência aconteceu em 2009. Ela teve início na cidade de Wellington, Nova Zelândia, em 2 de outubro, e terminou em 02 de janeiro de 2010, em Punta de Vacas, Argentina, após percorrer 120 países.

No Brasil, já passou por: Recife/PE, Salvador/BA, São Paulo/SP, Cubatão/SP, Caucaia/SP, Itapeva/SP, Paraisópolis/MG, Campinas/SP, Rio de Janeiro/RJ, Maricá/RJ e Londrina/PR.

Contato do Comitê da Marcha Mundial Curitiba:
41 99941 3494 (Régis): regisgarrett@hotmail.com
41 99927 3534 (Edite): vivencias.nhandecy@gmail.com
Leia o Manifesto: https://www.facebook.com/worldmarchcuritiba/posts/112907650067470
Facebook:https://www.facebook.com/worldmarchcuritiba/https://www.facebook.com/events/1391702740985271/
Site oficial: http://pt.theworldmarch.org

SERVIÇO:
2ª Marcha Mundial pela Paz e Não Violência
Data: dia 18 de dezembro (quarta-feira)
Horário: 8h30 às 18h
Local: Campus Rebouças da UFPR, na Avenida Sete de Setembro, 2645 (ao lado do Shopping Estação) e Praça Eufrásio Correa.

 

O CORPO E A CIDADE: DIÁLOGOS ENTRE BRASIL E PORTUGAL

A Universidade Federal do Paraná, Campus Rebouças, em Curitiba, vai receber o “II Seminário Lazer, Cultura e Território: diálogos sobre corpo e cidade entre Brasil e Portugal, e o “II Seminário Linguagem, Corpo e Estética na Educação – Licores”, que será realizado nos dias 25 e 26 de novembro de 2019, parceria entre grupos dos dois países.

EM DEFESA DOS DIREITOS HUMANOS: B’NAI B’RITH

Perguntamos a Szyja Ber Lorber * o que é, e o que faz a B’nai B’rith?

Segundo ele, a B’nai B’rith, que em hebraico significa “Filhos da Aliança”, é a mais antiga organização de defesa dos direitos humanos em todo o mundo. Fundada em 1.843 (há 176 anos) em Nova York, a instituição judaica tem caráter universalista e atua em 54 países promovendo a Educação, campanhas humanitárias em favor de vítimas de guerras e desastres naturais, serviços sociais de assistência médico-hospitalar a pessoas carentes, combate ao racismo e à discriminação de todas as espécies.

É reconhecida como ONG e possui assento na ONU e em outros foros internacionais. Presta serviços comunitários de acordo com os mais elevados princípios da humanidade e do judaísmo, entre os quais o conceito de Tikun Olam, segundo o qual, cabe a cada um de nós fazer deste um mundo melhor para todos. Assim, a B’nai B’rith Internacional já fundou hospitais, orfanatos, lares para idosos, bibliotecas e realizado incontáveis iniciativas e programas de interesse público.

Na América Latina existem cinco Distritos da entidade na América Latina: Norte da América Latina e Caribe; Brasil; Argentina; Chile, Bolívia e Peru; Paraguai e Uruguai. A presidência é rotativa, e muda a cada dois anos. Tem como função representar a instituição no âmbito latino–americano ante a B’nai B’rith Internacional na coordenação de projetos e ações conjuntas nas áreas política, comunitária, educacional e emitir declarações públicas sobre os temas tratados por toda a instituição. Seu escritório central está situado no Uruguai.

No Brasil, a organização está presente há 86 anos. Banida durante a ditadura do Estado Novo (1937-1945), voltou às atividades com a redemocratização, e desde então tem contribuído para o aperfeiçoamento de leis nacionais contra o racismo. Disso decorre o incentivo à fraternidade, ao diálogo inter-religioso, promovendo a inclusão social, a cultura da paz, a educação democrática e ao trabalho social, atuando em parcerias com outros setores da sociedade.

Teve especial participação, junto com a CNBB, na proteção de pessoas perseguidas pela ditadura. A B’nai B’rith mantém lojas nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná e Rio Grande do Sul e representantes em alguns outros Estados.

No Paraná, em sucessivas gestões, a BB desenvolveu um trabalho específico contra a intolerância, através da disseminação do Ensino Sobre o Holocausto, concursos para a Rede Pública de Ensino, Jornadas Interdisciplinares para Educadores e palestras com sobreviventes sobre o Holocausto.

Com a OAB-PR, realizou desde o Projeto Direitos Humanos: Diálogos com a Sociedade, que teve conferências do arquiteto Jaime Lerner, ex-prefeito de Curitiba e ex-governador do Estado, sobre Mobilidade Urbana, e do então embaixador de Israel no Brasil, o árabe druso Reda Mansour, sobre “Direitos Humanos e Políticas de imigração no Estado de Israel”.

Com a Secretaria de Educação do Estado do Paraná realizou um projeto para combater o bullying nas escolas. Com o UniBrasil – Centro Universitário e o Graciosa Country Club, tem coparticipado do evento “Pensando o Brasil”, que tem trazido a Curitiba grandes expressões da atualidade como Demétrio Magnoli e Luiz Felipe Pondé entre outros.

No Hospital Pequeno Príncipe, promove desde agosto de 2015 uma ação conjunta de integração humana e desenvolvimento social denominado Projeto Tikun Olam Ismar Strachman, em homenagem ao médico e irmão da B’nai B’rith do Paraná, já falecido e que era pediatra no hospital. O objetivo é incentivar jovens e adultos a fazer um trabalho voluntário com as crianças em convalescença.

 

Rabino Nilton Bonder, Szyja Lorber, presidente da B’nai B’rith Paraná e Wanda Camargo do UniBrasil Centro Universitário. Fonte: http://glorinhacohen.com.br/?p=46102

 

*Szyja Ber LORBER, jornalista, escritor com diversos livros publicados, professor de Geografia e História, especialista no conflito do Oriente Médio, é presidente da B’nai B’rith Paraná. Licenciado em Geografia e Estudos Sociais (Ponta Grossa) e bacharel em Comunicação Social – jornalismo pela Universidade Federal do Paraná. Especialização na ESMP – Escola Superior de Marketing e Propaganda. (O nome Szyja é polonês e o “sz” se pronuncia como “ch” ou “x” e a tradução é Josué).

Obs. Imagens retiradas da Internet, com a finalidade meramente ilustrativa da matéria.