Radar Lepcon

PERCURSOS AFETIVOS

Observar a cidade e as pessoas que nela vivem e transitam com um novo olhar, com uma nova escuta, a partir da perspectiva de um ciclista, este é um dos principais objetivos da performance Percursos Afetivos do artista carioca Cadu Cinelli (ator, artista têxtil, contador de histórias e diretor teatral, integrante do grupo OS TAPETES CONTADORES DE HISTÓRIAS/RJ) que conta histórias percorrendo de bicicleta as ruas do centro de Curitiba.

Estar em uma bicicleta é imprescindível para acompanhar este trabalho itinerante que estreou durante a última edição do Festival de Teatro de Curitiba e ganhou bastante repercussão. Mas, foram poucos dias, por isso quem perdeu a chance de vivenciar essa experiência, agora, vai poder se programar.

A partir de julho, a inusitada performance será apresentada no último fim de semana de cada mês, até novembro deste ano. Sempre aos sábados e domingos, às 19h, em algum ponto da cidade. O trajeto muda a cada mês, o de julho, dias 28 e 29, já está fechado, irá sair do Terminal Guadalupe e chegar na Praça 19 de Dezembro, a da Mulher e Homem nus. Em agosto (dias 25 e 26), o ponto de partida será a Boca Maldita e o de chegada a Praça Rui Barbosa. Os demais ainda serão definidos.

A duração do passeio é de 50 minutos e as histórias contadas durante o percurso, enquanto os ciclistas pedalam, são semificcionais, criadas pelo próprio performer Cadu Cinelli. A paisagem ao longo do trajeto, durante as apresentações, recebe intervenções como projeções de imagens, palavras, iluminação, introdução de objetos e outras surpresas.

“A ideia, por meio da ação poética, é ressignificar a paisagem, potencializando uma mudança de olhar tanto de quem participa da performance quanto de quem está somente de passagem e se depara com ela”, declara Cinelli.

Fotos: Renato Mangolin e Doug Oliveira.

Serviço:
Performance: Percursos Afetivos com Cadu Cinelli
Colaborador: Dag Bach
Dias: 28 e 29 de julho
Horário: 19h
Saída em frente à entrada do Santuário da Nossa Senhora de Guadalupe
Percurso: Terminal Guadalupe – Rua Pedro Ivo – Rua Barão do Rio Branco – Paço da Liberdade – Rua XV de Novembro – Biblioteca Pública do Estado do Paraná – Praça Tiradentes – Rua Riachuelo – Praça 19 de Dezembro.
Duração: 50 minutos.
Obs.: Mesmo com chuva haverá performance
Entrada: Colaboração Livre
Contato e empréstimo de bicicleta: 21 98352 2492 (Cadu Cinelli) / cecinelli@hotmail.com
Facebook: @percursosafetivos

Assessoria de Imprensa:

Glaucia Domingos

41 99909 7837

Facebook:@glauciadomingosassessoria

 

 

                                                                                              Mapa do Trajeto:

“O DELÍRIO DO VERBO”, PEÇA COM JONAS BLOCH, É ATRAÇÃO NA CAIXA CULTURAL CURITIBA

“Noventa por cento do que eu escrevo é invenção. Só dez por cento é mentira” – Manoel de Barros (1916-2014)

A CAIXA Cultural traz a Curitiba, de 05 a 08 de julho, a peça “O Delírio do Verbo” com o ator Jonas Bloch interpretando textos de Manoel de Barros. Uma narrativa cheia de poesia e humor, que traz um novo olhar sobre a vida, numa linguagem inovadora e surpreendente. O renomado ator Jonas Bloch, com mais de 50 anos de atuação em teatro, cinema e televisão, apaixonou-se pelos textos de Manoel de Barros e selecionou os que se adaptavam ao teatro para realizar esse espetáculo.

“Ao ler Manoel de Barros, fiquei tão emocionado, que meu primeiro impulso foi o de compartilhar suas palavras com todo mundo. Selecionei os textos, procurando dar uma visão das diversas faces da obra deste grande poeta. A grande ambição do ator é ser instrumento da beleza, mensageiro de um mundo novo.

Fazer com que as pessoas saiam de sua rotina e vivenciem outros universos, tenham experiências que ampliem seus horizontes e cresçam como seres humanos. Manoel de Barros nos oferece isso, um novo olhar sobre a vida, transgride a linguagem estabelecida, a visão estratificada de nossa cultura, abre nossos olhos para as coisas mais essenciais, abrindo caminhos para uma renovação”, comenta Jonas Bloch.

Foto de Cena 1

 

Considerado por Carlos Drummond de Andrade, “o maior poeta brasileiro”, a poesia de Manoel não é composta de rimas e métrica. Não se baseia num clima romântico tradicional, é plena de humor, de inovações e delicadezas. A equipe do espetáculo tem a supervisão de Emílio de Mello, também ator, figurinos de Cassio Brasil e desenho de luz de Bruno Cerezoli. A cenografia é inspirada no artista Arthur Bispo do Rosário, cuja obra se identifica com as citações de Manoel de Barros.

Ambos encontram beleza em coisas que não damos importância, transformando-as em poesia, as “coisas sem santidade”. O ator Jonas Bloch, também formado em Artes Visuais, é quem assina o cenário da peça, assim como o trabalho artesanal presente na cenografia.

Jonas Bloch:

Com mais de 50 anos de profissão como ator, Jonas Bloch dividiu sua carreira entre televisão, teatro e cinema. Participou de novelas, como “Mulheres de Areia”, “A Viagem” e “Novo Mundo”; estrelou filmes como “Amarelo Manga” e “Cabra Cega”; atuou em filmes e séries internacionais, com destaque para “Discretion Assured”; e emprestou seu talento a montagens como “Hamlet” e “Sonho de uma Noite de Verão”, ambas de Shakespeare.

Jonas Bloch também foi professor universitário. Já atuou em 38 peças de teatro, 40 filmes, e em 47 produções para a TV. Foi premiado no Festival de Cinema de Recife, em Pernambuco; no “Guarnicê” – Festival de Cinema do Maranhão; e no Festival Latino-Americano de Cinema de Canoa Quebrada, no Ceará. O ator, que possui mais de 50 anos de carreira, interpreta textos de Manoel de Barros numa narrativa cheia de poesia e humor. Ele apresenta um novo olhar sobre a vida com uma linguagem inovadora e surpreendente.

Foto de Cena 2

 

Manoel de Barros: 

Manoel de Barros foi vencedor de dois prêmios Jabuti. Guimarães Rosa, que fez a maior revolução na prosa brasileira, comparou os textos de Manoel a um “doce de coco”. Foi também comparado a São Francisco de Assis pelo filólogo Antônio Houaiss, “na humildade diante das coisas (…). Tenho por sua obra a mais alta admiração e muito amor.” Segundo o escritor João Antônio, a poesia de Manoel vai além: “Tem a força de um estampido em surdina. Carrega a alegria do choro.”

Millôr Fernandes afirmou que a obra do poeta é “única, inaugural, apogeu do chão.” E Geraldo Carneiro afirma: “Viva Manoel violeur d’amores, violador da última flor do Lácio, inculta e bela. Desde Guimarães Rosa a nossa língua não se submete a tamanha instabilidade semântica”.

Para assistir a trechos de “O Delírio do Verbo”:
https://www.youtube.com/watch?v=6evkyDUqEsI&feature=youtu.be

Serviço:
Teatro: “O Delírio do Verbo”, com Jonas Bloch
Local: CAIXA Cultural Curitiba – Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Curitiba (PR).
Data: de 05 a 08 de julho de 2018 (quinta a domingo)
Obs.: Dia 05 haverá intérprete de libras e bate papo com o ator.
Horário: de quinta a sábado, às 20h e domingo, às 19h.
Ingressos: vendas a partir de 30 de junho (sábado). R$ 10 e R$ 5 (meia – conforme legislação e correntistas que pagarem com cartão de débito CAIXA). A compra pode ser feita com o cartão vale-cultura.
Bilheteria: (41) 2118-5111 (De terça a sábado, das 12h às 20h. Domingo, das 14h às 19h.)
Duração: 50 minutos
Classificação etária: 14 anos
Lotação máxima: 125 lugares (2 para cadeirantes)

Assessoria de Imprensa Local
Glaucia Domingos
41 99909 7837
glauciadomingos@hotmail.com

Assessoria de Imprensa da Caixa
Maria Celeste Corrêa – (41) 9 9995 0169 / 9 8786 4465
fernandezcorreamc@gmail.com

Assessoria de Imprensa da CAIXA Cultural Curitiba (PR)
(41) 3544-5641
www.caixa.gov.br/imprensa | @imprensaCAIXA
www.caixa.gov.br/cultura

Fotos: Guga Melgar

 

Despedida e discurso de encerramento do Curso de Educação em Direitos Humanos

No último sábado (09/06), o Curso de Educação em Direitos Humanos – UFABC realizou o último encontro presencial desta edição do curso, além das bancas de avaliação dos Trabalhos de Conclusão de Curso da pós-graduação lato sensu em Educação em Direitos Humanos, turmas de Especialização e Aperfeiçoamento.

Após as palavras iniciais dos membros da mesa de abertura, os oradores convidados se juntaram à Profa. Dra. Ana Maria Dietrich e proferiram suas considerações sobre esta jornada a seus colegas e ouvintes.

Este foi um grande momento, já que os próprios cursistas puderam dizer o que o curso representou para eles ao longo destes meses. Confira aqui a íntegra do relato do cursista Rodrigo Martins, da turma de Aperfeiçoamento – Polo Diadema.

Além do belo discurso, Rodrigo Martins também enviou um agradecimento especial à sua tutora ao longo do curso, Cecília Prado, que é possível conferir abaixo:

“Adorei a experiência propiciada pelo curso e sou muito grato por seu inestimável apoio ao longo de toda a caminhada. 

Aliás, em minha trajetória escolar e acadêmica, jamais tive um professor tão dedicado na correção dos trabalhos. O seu detalhado feedback, com o perdão do estrangeirismo, ajudou-me muito na compreensão dos temas trabalhados na bibliografia. E sua agradável companhia animou as manhãs dos encontros presenciais em Diadema. Sentirei saudades. 

Peço a gentileza de você estender os meus cumprimentos à professora Ana Maria, à Nathália, e aos demais professores e tutores. 

Um forte abraço,

Rodrigo Martins”

Confira como foi o II Encontro presencial do curso de Educação em Direitos Humanos

No último dia 17 de março, o Curso de Educação em Direitos Humanos realizou mais um encontro presencial, o segundo de cinco previstos até o fim de nossa jornada.
Nesta aula, alunos da pós-graduação lato sensu em Educação em Direitos Humanos assistiram, simultaneamente, às aulas dos professores Doutores Artur Zimerman e Ivan Filipe Fernandes.
As aulas foram transmitidas diretamente do polo de Diadema, via Youtube, para outros 3 polos da rede Uniceu Uab: Casa Blanca, São Rafael e Pera Marmelo.
Durante as aulas, que tiveram como temas Violência no campo e Democracia, os alunos puderam fazer profundas reflexões, promovendo profícuos debates e levantando importantes questões sobre o momento que os Direitos Humanos atravessam, com foco nos temas propostos.
Após a realização das web-conferências, os alunos puderam tirar dúvidas com os professores, enviando seus questionamentos através do Youtube, para quem estava nos demais polos, ou pessoalmente, para quem esteve em Diadema.
Na segunda parte do dia, os cursistas se reuniram em grupos e expuseram seus pensamentos aos colegas para, ao final da discussão entre eles, submeter suas conclusões à avaliação dos respectivos tutores.
Compartilhamos vivências importantes nessa incrível experiência de aprendizado sobre Educação em Direitos Humanos.

Alunos finalizam atividades do II encontro ao lado do tutor Adriano Silva e da coordenadora do Curso de Educação em Direitos Humanos, Profa. Dra. Ana Maria Dietrich.