Trouxas

A criatura diz que é potterhead e que sua casa é a Grifinória, mas vive compartilhando textos e vídeos do MBL. Não entendeu nada.

1

Uma professora vai ao cinema ver o filme da Lava-Jato – aquele do título cínico “A lei é para todos” – e espalha que o achou “maravilhoso”, que o achou “o melhor filme que viu nos últimos tempos”. E ainda o recomenda efusivamente aos amigos.

Outra professora diz que o filme tem grande significado por ter sido lançado no Sete de Setembro e será trabalhado em sala de aula com seus alunos.

Bom, é isso. Eu só queria desabafar.

P.S.: Talvez esses exemplos acalmem o coração de quem acha que os professores são todos uns esquerdistas, comunistas, marxistas. #Iwish

2

“Evento no Facebook pede para americanos atirarem no furacão Irma”

“Delegacia na Flórida pede para as pessoas não atirarem no furacão Irma”

O Irma passou por Saint Martin, Ilhas Virgens, Porto Rico, Barbuda, Cuba, mas só nos Estados Unidos tentaram pará-lo à bala.

Ilustrativo.

3

A criatura diz que é potterhead e que sua casa é a Grifinória, mas vive compartilhando textos e vídeos do MBL.

Não entendeu nada.

Se o MBL existisse no universo criado por J. K. Rowling, textos e vídeos do grupo seriam compartilhados por Draco Malfoy e afins, da Sonserina.

Ou por trouxas, claro.

Tags:,
É autor de "Segundas estórias: uma leitura sobre Joãozito Guimarães Rosa" (Quartet, 2008), escreve no Pasmatório, tem perfil no Twitter e no Facebook.

Deixe uma resposta